Filosofia >

Qualia

• 2292 dias astrás

Para nós discutirmos sobre qualia (plural de quale), devemos primeiro entender o que é qualia. A qualia é a sensação subjetiva que temos ao utilizar qualquer um dos cinco sentidos, é a vermelhidão do vermelho, é o sabor do marisco, o áspero do limão, o cheiro da rosa e o som de Mozart.

A qualia são as qualidade imensuráveis, incomunicáveis, ou seja, podemos dizer que um objeto é grande ou pequeno objetivamente se estabelecemos linhas que definem grande ou pequeno, até podemos medir objetivamente se um objeto é mais vermelho que outro através de medições de comprimento de onda. Mas a vermelhidão do vermelho contemplado pela mente é inefável e é aí que está o quale.

Um exemplo "Enquanto comia ostras com o seu forte gosto de mar e leve paladar metálico, enquanto bebia o líquido gelado de cada concha e os engolia com um gole de vinho, perdi a sensação de vazio e passei a ser feliz." - Ernest Hemingway

Ou seja, por mais que ele circunda a sensação que comer uma ostra nos proporciona, o gosto exato de comer ostra é subjetivo e inefável.

Um exercício para tentar entender o que é a qualia é observar um objeto azul por exemplo, e perceber que desde que você nasceu azul é azul para você, mas se outra pessoa sempre enxergou azul com a tonalidade que você enxerga o vermelho não há como descobrir isso, pois esta sempre associou a tonalidade enxergada ao conjunto de letras "azul".

Sabemos por exemplo que o vermelho é definido como frequências de onda de luz de 4,6 x 1014 hertz, sabemos que um daltônico, não consegue diferenciar determinadas frequências de luz em tonalidades diferentes no cérebro, porém isso, não muda a questão da qualia, perceba se você sempre enxergou o azul com a minha tonalidade de vermelho, você sempre associou essa tonalidade a palavra azul, e é impossível eu saber realmente qual a tonalidade da cor que é processada no seu cérebro, o nome disse é quale.

Existem atualmente experimentos que são capazes de saber o que você está pensando através de estudos dos processos cerebrais, porém estes não chegam perto de resolver o problema da qualia.
Nós admitimos que o meu vermelho é igual ao seu vermelho, porque não há razão para se pensar diferente, a questão é, a qualia é um fator importante, ou é uma questão que deve ser esquecida por ser inacessível objetivamente?

Por: Caio Mariani | www.afilosofia.com.br | caio@afilosofia.com.br