História >

O Anticristo segundo Nietzsche

• 1260 dias astrás

Escrito por Friedrich Nietzsche em 1888, um ano antes do filósofo perder a lucidez, o livro "O Anticristo", é uma afiada análise sobre o cristianismo, classificado por ele como objeto. O livro dá continuidade ao exame sobre a moral, que ocorre na maior parte de seus livros.

LEIA MAIS: Filosofia e liberdade

"O Anticristo" afirma a posição do filósofo sobre a doutrina religiosa, mostrando o cristianismo - ao qual ele classifica como maldição - como uma vitória dos fracos, doentes e rancorosos sobre os fortes, orgulhosos e saudáveis. O conteúdo do livro mostra o quanto o cristianismo exerce forte indução das massas por meio de ideias pré-fabricadas.

Fazendo uma comparação do cristianismo com outras religiões, Nietzsche critica veementemente a mudança de foco que a religião opera, uma vez que o centro de suas atenções passa a ser o "além" e não o mundo presente e factual no qual vivemos. 

O autor também critica Jesus Cristo e seu apóstolo Paulo, bem como grande parte de todos os dogmas cristãos, em um grande exercício de raciocínio e pensamento filosófico.

LEIA MAIS: Frases de Sócrates

O Anticristo segundo Nietzsche
Imagem: reprodução.