História >

Immanuel Kant (3)

• 2094 dias astrás

Continuação do artigo: Immanuel Kant (2)

Esta distinção é geralmente considerada a mesma que entre verdades necessárias e contingentes. A verdade necessária é uma proposta que seria contraditória negar, e, portanto, sempre é verdade. A proposição contingente pode ou não ser verdade. Por exemplo:

'“Um hexágono tem seis lados” é uma verdade necessária porque seria auto-contraditório dizer que um hexágono não tem seis lados. “Bolos são redondos” é uma afirmação contingente porque ele pode ou não ser verdade.

Filósofos anteriores haviam vislumbrado a distinção de a priori / a posteriori como um sinônimo da distinção analítico / sintético, mas Kant não concorda com ele. Ele defendeu que as duas distinções não eram completamente coincidentes e podem-se considerar quatro possíveis combinações lógicas.

1) Juízos analíticos a posteriori não surgem porque não conseguimos absorver com a experiência o que é necessariamente verdade.

2) Juízos sintéticos a posteriori derivam de nossa experiência.

3) Juízos analíticos a priori são necessariamente verdadeiros e incluem verdades lógicas.

4) Juízos sintéticos a priori são os juízos de valor que não podem ser mostrado para ser verdade por mera análise da relação sujeito-predicado e uso de contradição, mas são, no entanto, verdadeiros e independente da experiência.

Kant mantinha que os filósofos anteriores não haviam realizado estas distinções, porque eles não tinham considerado juízos sintéticos a priori. Hume tinha conceituado a matemática para ser analítico a priori e, portanto, considerando-a salva de seu ceticismo, mas Kant afirma que as verdades matemáticas são sintéticas a priori. Hume havia mostrado que a lei da causalidade não é analítica e, portanto, não poderíamos ter certeza de sua veracidade. Kant respondeu que embora não seja analítica, é a priori. Então, agora Kant se depara com sua questão central:

Como são possíveis os juízos sintéticos a priori? A Crítica da Razão Pura é uma resposta a esta pergunta.

Continua no artigo: Immanuel Kant (4)

Quer ler mais sobre filosofiaciênciaeconomia e história? Acesse o maior portal de filosofia do paísA Filosofia!

Por: Caio Mariani | www.afilosofia.com.br | caio@afilosofia.com.br | Imagem: 3.bp.blogspot.com
 
filosofia | immanuel kant | kant | immanuel kant iluminismo | kant iluminismo | immanuel kant filosofia | kant filosofia | filosofia de kant | filosofo immanuel kant | filosofo kant | revolução francesa kant | resumo kant | resumo de kant